sábado, 9 de agosto de 2014

CMEI Júlia Ferrais aposta na Educação Ambiental

       Na tarde deste sábado (09), diante de vários representantes das mídias de Foz (Record, SBT, Gazeta do Iguaçu, PMFI-SMED) iniciou-se um trabalho a ser concluído à médio e longo prazo: A revitalização da Nascente do Rio Boicy.

       As professoras do CMEI Júlia Ferrais já estão trabalhando há alguns anos com suas crianças e familiares a questão da importância da “Água Boa”, fazendo um trabalho de conscientização com as crianças e seus responsáveis, em relação à responsabilidade da comunidade nos entornos de várias nascentes existentes no Portal de Foz.

       Nesta tarde, auxiliadas por vários moradores que foram chegando e se solidarizando, a coordenadora do CMEI Julia Ferrais, professora Silvana, e  orientadora pedagógica, professora Delsi Loraine Witzke Bellon, estiveram removendo os resíduos sóidos (lixo) das margens da nascente. Logo depois iria ser plantada no local uma muda de Ipê Roxo, árvore que é um dos símbolos de nossa cidade.

       O servidor Adir, membro da Guarda Municipal e atuante na Defesa Civil, e que coopera com as professoras do CMEI, trouxe ao nosso conhecimento duas leis:

A LEI Nº 427, DE 15 DE DEZEMBRO DE 1964, que ESTABELECE NORMAS DE PROTEÇÃO AO MANANCIAL DO RIO M`BOICY, A MONTANTE DO LOCAL DE CAPTAÇÃO DO DEPARTAMENTO DE ÁGUIA E ESGOTOS; e a Lei 4171 de 12 de dezembro de 2013, que institui o Programa “Adote uma Nascente”.

       Concomitantemente à existência dessas leis, é vital que os cidadãos se mobilizem para que a mesma não fique apenas no papel… E isso é dever de todos nós! Consciente da responsabilidade comum, Delsi desenvolveu seu projeto.

       Parabéns às professoras, pais e demais pessoas que têm colaborado para que esse projeto avance de forma eficaz!

       Esperamos que o conhecimento desse trabalho que vem sendo desenvolvido pelo CMEI Julia Ferrais possa despertar o interesse de nossos profissionais de ensino da rede pública municipal e que à exemplo dessas cidadãs, possam trabalhar essa conscientização de forma prática junto aos nossos educandos e à comunidade iguaçuense.

       Fica aqui o desafio!